OpenRoads

OpenRoads 

Título

O OpenRoads é uma solução tecnológica que permite uma abordagem integrada para a gestão e supervisão do desempenho da rede rodoviária, em termos de operação e manutenção.

É o resultado visível de um posicionamento estratégico do InIR, orientado à inovação, que desenvolveu este sistema para garantir a qualidade, eficiência e segurança das infraestruturas, bem como os direitos dos utentes. Com a sua criação, o InIR pretendeu também contribuir para a harmonização de serviços e indicadores de desempenho no universo das dezassete concessões rodoviárias, atualmente em exploração.

O OpenRoads permite ao InIR apurar, com uma granularidade de 100 metros, todos os dias e todas as horas, toda a informação relativa a incidentes e ao estado de conservação e manutenção da rede rodoviária, desagregada por sublanço, sentido e via.

Pelas suas características, serve de base ao cálculo das deduções por indisponibilidade, no âmbito da operacionalização dos novos contratos que estabeleceram o quadro legal para a introdução de portagens nas concessões SCUT.

Enquadramento

Tendo em conta as diferentes singularidades de cada contrato de concessão, o InIR em 2009, iniciou um processo de análise, classificação e comparação detalhadas da totalidade dos parâmetros de Qualidade de Operação e Manutenção, estabelecidos nos contratos de cada concessão.

O trabalho, desenvolvido em conjunto com parceiros privados, resultou na construção da solução tecnológica OpenRoads, que integra um conjunto de matrizes operacionais para controlo dos diversos indicadores do desempenho das concessionárias, em matéria de manutenção e operação.

Esta abordagem teve duas implicações de ordem prática: a necessidade de analisar enormes volumes de dados e de assegurar a troca de informação entre as partes envolvidas (concessionária/concedente ou concessionária/concessionária) de forma interoperável e standardizada.

Para tal, foi desenvolvida uma arquitetura funcional que constitui um Datawharehouse Nacional Rodoviário, e adotado o DATEX II como linguagem para a troca de dados, em linha com os mais recentes desenvolvimentos europeus na área dos Sistemas de Transporte Inteligentes (ITS).

Neste trabalho, o InIR procurou salvaguardar os investimentos já realizados pelas concessionárias, que tinham conduzido à existência de uma diversidade de estruturas e plataformas tecnológicas específicas, tendo desenvolvido o OpenRoads como uma ferramenta de gestão flexível, não intrusiva e respeitando o legado dos agentes do setor rodoviário.

Supervisão Contratual

Por definição, gestão e supervisão são atividades diárias e contínuas no relacionamento entre concessionária e concedente, que obrigam à recolha e tratamento de informação.

O OpenRoads assenta num contacto permanente com as concessionárias rodoviárias que, como contratualmente estabelecido, reportam a informação ao InIR. Tal informação é submetida a um processo automatizado de análise e cruzamento de dados pelo sistema, que permite detetar eventuais inconformidades.

Na base desta atividade está um conjunto de indicadores de gestão e desempenho das concessionárias, estabelecidos em cada contrato. Estes indicadores têm em conta aspetos de qualidade da infraestrutura e refletem as ações e as iniciativas que a entidade concessionária deverá empreender para garantir as condições de segurança adequadas à circulação rodoviária, durante o período de vigência do contrato.

O desempenho é assim avaliado compreendendo todas as fases do ciclo de gestão das concessões (construção, manutenção e conservação) e a componente de gestão operacional e estratégica dos serviços prestados ao Utente da infraestrutura.

Nesta fase, encontra-se já operacional para um conjunto de sete concessionárias, toda a componente relativa à avaliação e supervisão da qualidade de Pavimentos, Marcas Rodoviárias, Sinalização Vertical, Guardas de Segurança, e do desempenho dos Sistema de Controlo e Gestão de Tráfego Serviços de Vigilância e Socorro, Segurança dos Utentes, Iluminação e Telecomunicações.

Durante o próximo ano prevê-se alargar a metodologia a outras áreas do universo rodoviário, nomeadamente à supervisão do estado de manutenção e conservação de Obras de Arte, Túneis, condições de Drenagem, Integração Paisagística, Proteção Ambiental, estado das Vedações e inventário do Património.

O ano de 2010 ficou ainda marcado pela introdução e implementação de um novo modelo de gestão e de financiamento no sector das infraestruturas rodoviárias – o Regime de Disponibilidade. Ao abrigo dos seus poderes de regulação, o InIR procurou clarificar os novos conceitos introduzidos nesses contratos então renegociados, de modo a garantir a sua total operacionalização.

Neste âmbito e de um modo muito sintético, a avaliação da disponibilidade resulta do cumprimento do nível de serviço contratualizado (nível de serviço mínimo de B), ou de eventuais desconformidades de qualidade da infraestrutura, face aos padrões mínimos fixados no contrato entre a concessionária e o Estado.

A concessionária envia, a título declarativo e com a periodicidade contratualmente estabelecida, a informação necessária relativa a cada parâmetro de avaliação, que permite ao InIR validar as condições da infraestrutura em termos da sua qualidade e consequente disponibilidade.

O OpenRoads serve assim de base ao cálculo das deduções por indisponibilidade, no âmbito da operacionalização dos novos contratos que estabeleceram o quadro legal para a introdução de portagens nas concessões SCUT.

 

O sistema permite ao IMT supervisionar e gerir as concessões rodoviárias de forma eficaz, monitorizando o seu desempenho e ainda apurar as eventuais indisponibilidades das vias, nos casos em que tal seja aplicável. 

O Estado Português controla assim em detalhe a indisponibilidade das vias, assegurando que não existe desperdício do erário público, e contribuindo para a progressiva uniformização de níveis de serviço transversais a toda a rede rodoviária concessionada, independentemente da autoestrada na qual o utente se desloca.

 

Próximos Passos

Utilizando o Datex - a linguagem tecnológica recomendada pela Comissão Europeia para a partilha de dados de tráfego no espaço comunitário - o OpenRoads posiciona a administração rodoviária portuguesa na linha da frente face às congéneres europeias.

O sistema constitui um caso-estudo ao nível internacional que tem sido apresentado a diversas entidades responsáveis pelo desenvolvimento de soluções inovadoras de gestão de estradas e mobilidade inteligente.

Como próximos passos, o OpenRoads está projetado para poder integrar capacidades de Data Minning e convergir com outras bases de dados externas.

Numa primeira fase será disponibilizado aos parceiros, um conjunto de serviços e funcionalidades de gestão. Numa segunda fase, os benefícios poderão alargar-se a um público mais amplo, proporcionando - ou ajudando a proporcionar - novos serviços, ao nível da mobilidade.

Sendo uma ferramenta eficaz para os processos de supervisão e gestão da rede rodoviária, as suas características, flexibilidade e escalabilidade, podem contribuir para melhorar os sistemas de suporte à decisão das entidades administrativas e gestoras de redes Rodoviárias.

O OpenRoads prossegue, no domínio dos mais recentes desenvolvimentos europeus na área dos Sistemas de Transporte Inteligentes – ITS e possibilita uma abordagem inovadora e integrada para a atividade do InIR, numa ótica de regulação, baseada em conceitos de fusão tecnológica, de interoperabilidade e continuidade de serviços, cuja capacidade se pode estender a orientar ou suportar futuras decisões ao nível do cumprimento das atribuições da Autoridade Rodoviária na atual configuração do Sector Rodoviário.


 
Termos de Utilização - Copyright © 2008 - 2020 www.imtt.pt - Todos os direitos reservados | Site optimizado para 1024x768, IE7+, FF2+ | Desenvolvido por CPCis
Os conteúdos deste site, publicados a partir de 1 de Janeiro de 2012, cumprem as regras do Acordo Ortográfico.
Símbolo de Acessibilidade à Web [D] Level Double-A conformance icon,W3C-WAI Web Content Accessibility Guidelines 1.0